Lonely Me – Twisted Sad Machines

“Twisted Sad Machines, da Lonely Me, tem cheiro de saudade e um certo gosto nostálgico. Explico: em tempos cada vez mais acelerados, o ontem passa a ser como há três séculos. Ou seja, até “ontem” o bip era um bem de última tecnologia. Hoje eu nem sei se você lembra, ou sabe o que foi o bip. Não é preciso dizer (porém, é extremamente necessário que você não perca essa perspectiva), mas, a velocidade dos avanços na comunicação e do potencial de divulgação de arte independente na internet é um dos grandes personagens desta história.

O compêndio lo-fi, todo gravado na lendária “Toca do Pombo”, reúne todos os
elementos estéticos destes tempos: boas ideias, excelentes melodias, arranjos bem bolados, produção de baixo custo e muito amor à camisa. Ao ouvir o disco faixa a faixa (como se fazia antigamente), fui submetido à certa crise existencial, compasso a compasso, catapultado aos meus 17 anos e tudo que um dia fui e não sou mais. Para situá-lo melhor no tempo e no espaço, falo da antiguíssima era compreendida entre o fim dos anos de 1990 do século passado e o início dos anos 2000”.

Leia mais em: http://lovelynoiserecords.com/banda/lonely-me/